sexta-feira, 16 de maio de 2014

Tomasz Zaczeniuk


nada aprender
nem ensinar:
seguir: e só

além de si
além do pôr
do sol e de

miras e miragens
nadas e paisagens:
ser só o que

passa: pássaro
sobre a página:
poema e banzo

de não ser daqui
nem de acolá:
sem lei sem rei sem lar

ser só em si
o rio que segue
para o mar



Carlos Moreira 

Nenhum comentário:

Oya (Oiá) é a divindade dos ventos, das tempestades e do rio Níger que, em iorubá, chama-se Odò Oya. Foi a primeira mulher de Xangô e...