quarta-feira, 20 de novembro de 2013




Foi num dia como outro qualquer.

Meu avô ergueu-se na manhã do seu tempo e iniciou sua jornada. Aquela que seria a sua maior caminhada já empreendida. A viagem que alteraria para sempre tudo o que existiu até aquele momento e alteraria para sempre tudo que viria a existir.
Foi na manhã de num dia qualquer, há milhares de anos, no coração da África.


Meu avô era Negro, assim como eu.

MP

Nenhum comentário:

Oya (Oiá) é a divindade dos ventos, das tempestades e do rio Níger que, em iorubá, chama-se Odò Oya. Foi a primeira mulher de Xangô e...