domingo, 22 de setembro de 2013

João Bosco de Almeida, 150x235cm


O Mar sempre esteve em minha vida.
Sempre presente e sempre uma promessa.

Adivinho o Mar.
Adivinho o sabor.
Adivinho o mergulho.
Adivinho a temperatura.
Adivinho o prazer e o medo dessas águas.

Adivinho você acenando seu olhar,
seu sorriso a me ver,
enquanto adivinho você ir e vir,
como o Mar,
promessa.

MP.

Nenhum comentário:

Oya (Oiá) é a divindade dos ventos, das tempestades e do rio Níger que, em iorubá, chama-se Odò Oya. Foi a primeira mulher de Xangô e...