segunda-feira, 1 de abril de 2013



Não ouso de si ou de seu Amor
Eu e meu Amor seu Amor
De si e seu Amor o desejo
do abandono
Silente na alfombra do meu peito
Seu desamparo me entregue
Nada mais
Não ouso de si ou de seu Amor
Eu e meu Amor seu Amor
De si e seu Amor o desejo
do descuido

Neste instante que estala 
MP

Nenhum comentário:

Oya (Oiá) é a divindade dos ventos, das tempestades e do rio Níger que, em iorubá, chama-se Odò Oya. Foi a primeira mulher de Xangô e...