quarta-feira, 20 de julho de 2011


Todos os dias lembram-me de você.
Todos os dias lembram-me que amo você.
Todos os dias lembram-me o porquê amo você.

Todos os dias lembram-me de você.
Todos os dias lembram-me que você não me ama.
Todos os dias lembram-me o porquê você não me ama.

Todos os dias.
Todos os dias eu vivo a dor de lembrar
e de lembrar de não me lembrar de você.   


Nenhum comentário:

Oya (Oiá) é a divindade dos ventos, das tempestades e do rio Níger que, em iorubá, chama-se Odò Oya. Foi a primeira mulher de Xangô e...