terça-feira, 7 de junho de 2011



Passei por aqui bem de leve.
Sem deixar rastros profundos,
Sem mover o pó dos móveis,
Sem abrir as janelas,
Sem lavar a louça.

Passei por aqui bem de leve.
Por um perfume pairando no quarto,
Por um poema esquecido sobre a mesa,
Por um silêncio de risos,
Por uma saudade.

Nenhum comentário:

Oya (Oiá) é a divindade dos ventos, das tempestades e do rio Níger que, em iorubá, chama-se Odò Oya. Foi a primeira mulher de Xangô e...