segunda-feira, 13 de junho de 2011


Em nossos corações fomos marcados
à ferro e fogo; em carne viva!
Com tinta invisível estamos tatuados.
É bem sutil e tão profundo!

Pelas Nornes, deusas divinas, nossos destinos costurados.
Duas linhas agora juntas derivam à uma nova vida;
Que felizes e afortunados...
Oh! As nossas Almas gritam à todo o Mundo!
César Brandão

Nenhum comentário:

Oya (Oiá) é a divindade dos ventos, das tempestades e do rio Níger que, em iorubá, chama-se Odò Oya. Foi a primeira mulher de Xangô e...