Apesar das inúmeras provas ou falta de provas
Apesar de todas as evidências em contrário
Apesar de nem eu mesmo saber como
Apesar de todas e muitas decepções
Depois de todos os desamparos
A despeito do que podem dizer


Há momentos em que me canso de ser eu
Sinto que terei que viver mais mil vidas antes de aprender a ser mais simples, mais comum, mais leve, mais ingênuo, mais puro, mais ignorante, mais tolo
As coisas do Universo são por demais singelas e o olhar oblíquo e inquieto não combina, não comunga com essa simplicidade cósmica
Sou muito complexo para pertencer a algo tão poderoso
Mais mil vidas
Um dia serei novamente uma criança em meu coração por ora tão empedernido
Serei outra coisa
Serei uma bolha iridescente de sabão numa tarde de domingo no parque
Serei talvez uma borboleta azul sob o Sol
Ou um canto, apenas um canto de sabiá
Um dia, quem sabe, eu seja parte do Amor por todas as coisas que intuo existirem em mim num canto ainda obscuro do meu ser
Um dia não serei uma sinfonia dissonante, mas um intervalo de silêncio entre duas notas harmônicas.
Um dia haverá bastante silêncio em mim como o que acredito que houve no ínfimo instante antes da criação das estrelas e de todas as coisas
Como sinto que deve haver nas fimbrias do Universo

MP
15/04/2010


Comentários