domingo, 20 de fevereiro de 2011

Lascia Ch'io Pianga


Lascia ch'io pianga
mia cruda sorte,
e che sospiri
la libertà

Il duolo infranga
queste ritorte
de' miei martiri
sol per pietà!

Lascia ch'io pianga
mia cruda sorte,
e che sospiri
la libertà

Ária da ópera Rinaldo. "Deixe que eu chore meu cruel destino e que deseje a liberdade", suplica a princesa Almirena, após ser aprisionada por uma terrível feiticeira.

Nenhum comentário:

Oya (Oiá) é a divindade dos ventos, das tempestades e do rio Níger que, em iorubá, chama-se Odò Oya. Foi a primeira mulher de Xangô e...