quinta-feira, 7 de agosto de 2008


Não me lembro do que ocorreu nos últimos quinze dias.
Lembro-me que choveu.

Começou dia treze.
Choveu.

Não creio que mais nada tenha acontecido.
Choveu.

Choveu e mofou tudo ao meu redor.
Talvez eu também tenha mofado.

Domingo choveu menos.
Ontem choveu menos ainda, hoje, um pouco.

Nesses dias eu quase não existi tomado pelo desespero, pela angústia.
Não pude fazer diferente.

Lembro-me que gritei durante o sono.
Gritei de ódio e loucura e vingança.
E porque era preciso.



Murilo Pagani
28/01/1992

Nenhum comentário:

Oya (Oiá) é a divindade dos ventos, das tempestades e do rio Níger que, em iorubá, chama-se Odò Oya. Foi a primeira mulher de Xangô e...